Vão

 Não existe nada pior do que dedicar-se a algo já sentindo que aquilo será em vão. Você se dá plenamente para aquela coisa, pessoa ou sentimento, se nutre de esperanças, desejos e anseios desde o começo com um pé atrás, mas com o outro na frente por que sente que vale a pena.

 Até que ponto o que queremos vale tanto esforço? Não sei mesmo. Talvez até o ponto de sacrifícios múltiplos e consecutivos. Sentimentos nos cegam, falsas esperanças nos iludem, em alguns casos ser cabeça dura só piora tudo.

 Você sonha, você deseja, você sente, você imagina, você quase realiza então começa a ver que aquele pé atrás que você tinha no começo estava mais firme e o pé da frente querendo fazer companhia ao outro, fraquejando e trêmulo de medo, mas você não tem culpa. Você se esforçou, você tentou, mas não facilitaram para o seu lado, nem um pouco mesmo...

 Sem opções você recua, por que ninguém quer pisar em areia movediça e afundar até a morte. Recuar é seguro, uma vez que você tenta pisar no chão que parece sólido, seu pé afunda e você vê que aquele chão não é seguro, recuar e dar a volta é a melhor opção. Ninguém quer se deixar ser levado por algo que só vai te trazer coisas ruins...

Comentários

  1. Já começo por aqui:"Sentimentos nos cegam, falsas esperanças nos iludem, em alguns casos ser cabeça dura só piora tudo".
    Quando queremos algum sentimento, ou nutrimos alguma esperança, por algo ou alguém, faz com que não desistirmos tão fácil. Quebramos a cabeça! Insistimos...lutamos...mas penso, que ás vezes é preciso tudo isso, para alcançarmos o nosso abjetivo. Mas quando vemos, que realmente o tempo está passando, e nada modifica, nada acontece. Bom mesmo é sermos maleáveis conosco mesmo e irmos em busca de novos rumos.
    Você meu amigo querido Fie! Descreve com muita propriedade tudo isso...e é bom que ao lermos seu texto, saibamos fazer uma boa reflexão naquilo que vale ou não a pena seguirmos, insistirmos.
    Uma bela noite para você.
    Um ótimo despertar.
    Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  2. Pois é, quando não temos um ambiente seguro à frente, recuar é a melhor opção.
    Claro que às vezes algumas coisas só são alcançadas com certas dificuldades, mas se a dificuldade perdura e não há nada além disso, é certo que tudo não passa de perda de tempo, e tempo é vida.
    Um bom texto e uma boa reflexão para se considerar no início de um ano.
    Abraços! x)

    ResponderExcluir
  3. Recuar não é ruim (conheço bem essa prática), mas cometer também não o é. Se não deu certo o que se propôs, ora, espera um cadinho, cura as feridinhas e tenta outra vez (nem quis citar Raul Seixas).

    Lindo texto, Felipe Cruz.
    Beijo-te!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Regras para Namorar um INFP

Oi, eu sou um INFP...

Biblioteca do Caos