Pequeno Desejo

 Debruçado em sua janela de madrugada ele inspira apenas um desejo que sabe que não será realizado.

 Ao fechar os olhos sente a brisa tocar seu rosto e a sorve com sua alma despida, agora ele é quem esconde da vida. Com os cotovelos apoiados na janela ele junta as mãos frente à boca e começa a expirar de leve seu hálito como se quisesse aquecê-las, em meio a esse esse ato de expirar ele move seus lábios num sussurro sem voz visando modelar o ar que sai de seus pulmões... "Que ela sonhe comigo..."

 Seu desejo passa por entre seus dedos e é carregado pelo irmão Vento. Ele não sabe se seu irmão irá levá-lo para onde, ou melhor, quem ele quer que seu desejo alcance. Na verdade ele duvida. Não por desconfiança das atitudes de seu irmão, mas por suas próprias atitudes. Não tem se achado digno de favores daquele que ele mais confia, mas com quem a muito tempo não tem conversado direito.

 Mesmo assim ele ainda tem esperanças, por que fazia poucos dias que tinha abrido seu coração para si mesmo e compreendido que a ama, muito mais do que ele mesmo consegue compreender, e seu irmão Vento é o único que sabe e compreende isso mais que ele mesmo.

 Já estava quase na hora de acordar então ele resolveu dormir ainda com aquele pequeno desejo em mente, sorrindo feito um bobo não apenas pela esperança de que sua vontade tenha sido entregue, mas também por estar sendo sincero com seus sentimentos pela primeira vez em muito tempo.

Postagens mais visitadas deste blog

Regras para Namorar um INFP

Oi, eu sou um INFP...

Juvia