Pequenas Crônicas - Sobre Escritores e Leitores

4 de Outubro de 2009

 Às vezes me pergunto por que escrevo. Algumas raras e poucas vezes em que o desânimo me abate eu me pergunto se realmente escrevo apenas por escrever, me contentando em nunca ser lido por praticamente ninguém (apenas por poucos amigos que gostam de demonstrar alguma solidariedade por um amigo escritor que não tem nenhum sucesso, menos ainda ânimo de correr atrás dele).

 Nessas horas penso se seria realmente bom fazer sucesso com minhas obras... Escrever autógrafos, ter pessoas comentando coisas sem nexo em relação a meus contos mais subliminares, possíveis professores de português criando interpretações errôneas sobre o que escrevo, analfabetos funcionais declamando (e destruindo) minhas poesias... Depois de pensar nessas coisas fico feliz em ter minhas obras conhecidas apenas por pessoas mais íntimas.

 Nada contra os fãs que querem uma assinatura de seu escritor preferido, nem das idéias vagas de pessoas que tomam sua própria interpretação sobre um texto lido (afinal, eu acredito que cada um pode tirar sua própria interpretação de qualquer coisa que leiam sem ferir o que o autor quis passar; geralmente um autor nunca sabe o que quis dizer com algo que escreveu, se sabe é um tolo), peço perdões também aos professores de português (até agradeço, pois sem eles eu não seria nada hoje) e mais ainda aos analfabetos que não tem um pingo de culpa de sua situação ortográfica...

 Quer saber, ignore tudo que eu escrevi aqui... Sou apenas um escritor amador introvertido e muito chato.

Comentários

  1. Ah, eu te leio.. e gosto muito!

    Cara pessoa que pegou intimidade deliciosamente ousada...

    Pra começar, não precisa pedir desculpas pela demora.. é na espera que as coisas acontecem. >D

    Que bom que sentiu o prazer da escrita... o presente é bom quando surte o efeito intencionalmente pensado quando é elaborado.

    Aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaah, a pior coisa que você pode fazer com uma pessoa curiosa é dizer que quase fez algo pra ela e não mostraaaaaaaaaar, ah, mostra?!

    Quero deixar claro que não estou te forçando a escrever algo para mim, sim?! Eu só falei brincando.. a idéia de dá um presente foi sem a intenção de ter algo em troca. Eu juro :)

    Que bom que a curiosidade aumentou.. vem cá, você salva as conversas?! Queria aqueles versos soltos que fizemos..

    ACHA?! E pode compartilhar, ô pessoa que ama se fazer de difícil?!

    Parece que você sente tesão em ser difícil.. em se fazer assim, em ver a reação das pessoas.. em testar a simpatia das pessoas ou a nossa paciência... né?! Mas, eu sou tão paciente... rs!

    O que é preciso fazer para alimentar a sua cabeça?

    Pode me contar as coisas?! Eu preciso ajudar no texto, lembra?!
    Você conhece a lenda do beijo?!
    Você disse que costuma criar lendas.. qual a que você mais gosta?!

    Hahha, nossa, você ama azul.. eu amo vermelho.. e isso da roxo.. que tem ligação com 'amor roxo'.. que é teu livro, correto?

    Deixa eu te contar um segredo..eu não acho que vou viver muito.. vira e mexe eu penso nisso... sei lá, só sei que penso.

    Você também tem o mundo aos seus pés. Sabe como conduzir um carinho a ficar tentador ficar bucadinhos eternos a falar contigo.. e olha que eu não quero prolongar o msn com medo.. muito medo...

    Um abraço bem saudoso.. já. :)

    ResponderExcluir
  2. Não peça desculpas... Tudo aí tem sentido. Eu tenho receio em comentar certos textos e dar um tiro n'água. Volta e meia minha nulidade literária me faz enredar por caminhos assim e acabo estragando a obra alheia com meus comentários toscos.

    No mais, você é um escritor, não há como fugir disso.

    Beijos.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Regras para Namorar um INFP

Oi, eu sou um INFP...

Biblioteca do Caos