Juvia (Rascunho)

 (Enfim, só um esboço bem resumido, a história original tem muito mais coisas... talvez eu faça disso um livro.)

 O fogo azul tremeluzia em meio aos galhos e a menina se aquecia nele. O fogo estava fraco e devorava os últimos vestígios da madeira que ainda havia para ser devorada.

 Cansada a menina se levantava e saia pela floresta iluminada apenas pela luz da lua para procurar madeira seca. Evitando perigos grandes de animais ferozes e pequenas plantas de espinhos venenosos ela volta da floresta com gravetos suficientes para mais duas ou três noites.

 Joga alguns dos gravetos na fogueira e o fogo azul as devora e se torna mais vivo. Uma boca distorcida se forma em meio ao fogo e com uma voz bruxuleante, fraca, ele diz: "Obrigado...". A menina sorri e estende a mão para ele que a envolve com suas carícias dançarinas de chama sem queimá-la, apenas aquecendo-a.

 Ela sente não apenas o calor voltando a seu corpo, mas ainda mais, um calor maior dentro de seu coração que não é fornecido pelo calor do fogo, e sim pela felicidade de estar com ele. Ela precisava dele para manter-se viva.

 Sabia que poderia morrer a qualquer momento, que uma hora ou outra enquanto estivesse dormindo o fogo poderia se extinguir pela falta de madeira, mas não se daria por vencida, não se deixaria morrer tão fácil. Se precisava dele para manter-se viva, não o deixaria morrer...

 A menina se deitara para dormir, precisava descansar, pois logo precisaria de forças para manter seu fogo vivo, e se seu fogo morresse ela também morreria...

Postagens mais visitadas deste blog

Regras para Namorar um INFP

Oi, eu sou um INFP...

Juvia