Pequenas Crônicas - Madrugada, doce madrugada...

6 de Setembro de 2009

É sempre no meio da madrugada que penso que nasci no local e/ou época errados. Nada contra minha bela cidade litorânea que possui paisagens tão tranqüilizadoras, menos ainda contra a minha época onde pude desfrutar dos mais ecléticos gostos e estilos que minha mente semi-limitada poderia conceber. Mas mesmo com tantas coisas, pessoas, artes e vidas únicas em suas mais variadas características ainda me acho sozinho.

Onde a madrugada se encaixa nisso tudo? Simples, eu amo a madrugada como ninguém. Não me entenda mal, não gosto dela pelo meu lado bon vivant. Eu sinto, cheiro, como, bebo e vivo a madrugada. Só ela me passa uma sensação de bem estar que nenhum lugar no mundo pode me passar. Não é apenas pelo fato de eu ficar total e completamente sozinho, pelo silêncio quase perpétuo ou pela ausência do irritante sol... Apenas me sinto em casa.

Postagens mais visitadas deste blog

Regras para Namorar um INFP

Juvia

Oi, eu sou um INFP...