Crono-Monstro

"Tic, tac..."
Fica o relógio a aterrorizar.
Corremos com medos de sermos pegos
por esse que a todos devorará...

Mal percebemos que tempo não corre...
O relógio é apenas um avatar distorcido,
uma quimera monstruosa
de uma entidade invencível.

Correr dele nos faz dar vãs voltas
que nos levam direto ao que
tanto tentamos evitar...

Ele é esperto.
Fica apenas parado, quieto...
Nos observa fugirmos do
existente perseguidor invisível.

No final caímos em seus braços...
exaustos, derrotados, perdidos.
Então ele sorri e nos engole
sem nem pestanejar.

Comentários

  1. Gostei bastante.
    Não se pode correr do tempo/vida, fugir ou se esconder. O tempo é uma "criatura" imortal mas nós não o somos.

    ResponderExcluir
  2. Caramba Olhão... Que saudades... Não some assim não... Bjo!

    ResponderExcluir
  3. "Peço-te o prazer legítimo
    E o movimento preciso
    Tempo tempo tempo tempo
    Quando o tempo for propício
    Tempo tempo tempo tempo..."

    Ele é um senhor tão bonito... E tão mordaz. E sarcástico. E benévolo... Tempo!

    Gosto quando estás aqui.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  4. Como você pode escrever de forma tão simples e 'encaixada' desse jeito menino ? Adorei! Muito bacana Fie :D

    ResponderExcluir
  5. Vim matar saudades...e bom chegar aqui e me deliciar, com suas crônicas. Cada dia melhor. Abraços.

    ResponderExcluir
  6. Bom dia, querido amigo.

    Adorei!!
    Enquanto ele nos escraviza, ficamos iguais baratas tontas.
    Depois, todos os seus ponteiros registram friamente, o fim da nossa labuta.

    Tenha uma linda semana iluminada.

    Beijos.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Regras para Namorar um INFP

Oi, eu sou um INFP...

Biblioteca do Caos