Autopsicografia

O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.

E os que lêem o que escreve,
Na dor lida sentem bem,
Não as duas que ele teve,
Mas só a que eles não têm.

E assim nas calhas de roda
Gira, a entreter a razão,
Esse comboio de corda
Que se chama coração.

Fernando Pessoa
-----

Eu não ia acrescentar umas notas adicionais... mas não resisti e to aqui editando a postagem.
Amo Fernando Pessoa e me simpatizo/familiarizo com ele tanto quanto com meu amado Quintana (que é quase um segundo pai pra mim, apesar de nunca tê-lo conhecido).
Essa poesia do Pessoa são definitivamente meus pensamentos e minha pessoa muito bem descritos, principalmente nos quatro primeiros versos.
Enfim... eu precisava me encontrar de novo nesses versos, por que me perco com facilidade. Só isso.
Abraços.

Postagens mais visitadas deste blog

Regras para Namorar um INFP

Oi, eu sou um INFP...

Juvia