Confissão de um carente...

Cada ser em sua própria essência é único à sua maneira. Como não reparar os caprichosos detalhes que fazem de cada ser único? Como não querer amar, mesmo que só um pouco, cada um desses seres e sorver um pouco dessas essências tão cativantes?

Palavras de um mulherengo, admito, mas é difícil se conter quando você é o tipo de cara que se apaixona por cada belo pedaço de pessoas que conhece... Qual a culpa de ser amaldiçoado pela carência?

Mas eu sei que só por ser carente não tenho o direito de sair querendo ter todas as mulheres do mundo para mim, exatamente por isso que me contenho ao máximo que posso... Quando me apego de vez a alguém esse alguém se torna único para mim, meus olhares, minha atenção e minhas carícias.

Ainda assim não consigo evitar ter quedas aqui e ali por essa ou outra mulher que conheça não importando muito a aparência, idade ou outras coisas irrelevantes. Pra mim tudo que importa é a pessoa em si, o psicológico, o modo como cada um vê a vida. Assim a aparência, os trejeitos únicos e os gostos acabam sendo a meu ver apenas um "gostinho a mais" que adoro compartilhar independente do psicológico da pessoa...

As sinuosidades do corpo (sejam de um violão ou mesmo de um balãozinho), os olhares tímidos ou audazes (que sempre amo mais que tudo), sotaques incomuns ou mesmo os mais comuns, as roupas sem graça, velhas ou até as mais bonitas e "chiques", dos ares mais humildes até os mais metidos... São os detalhes que embelezam e tornam cada mulher perfeita.

Sim. Me apaixono por cada pedaço desses detalhezinhos bobos que muitos odeiam ou ignoram, mas apenas o conjunto perfeito dos mais belos detalhes com um lindo jeito de ver a vida e gostos únicos é que fazem com que eu realmente ame alguém...

Postagens mais visitadas deste blog

Regras para Namorar um INFP

Oi, eu sou um INFP...

Juvia