O Rei Solitário

Havia um rei e seu castelo. Não haviam guerras para serem travadas, nem soldados para guerreá-las. Nem casas para serem habitadas ou plebeus para que as habitassem. Não haviam piadas para serem feitas, nem menestréis para contá-las. Tristezas e felicidades já não eram mais sentidas. Nem o vento soprava fazendo das tardes mais frescas. A chuva que caía não trazia mais as antigas nostalgias. Os familiares o deixaram por que não sentiam mais conforto em ficarem ao seu lado - ele os havia espantado. Seus súditos haviam ido embora por que o reino não era mais produtivo como outrora. As moradias estavam destruídas, o castelo empoeirado, as colheitas todas secas... Era um reino abandonado. O rei ficava apenas ali sentado, pensando sem pensar, com o queixo apoiado no punho cerrado e não tendo forças para um mero pestanejar. Pensava na morte, pensava na vida, coisas bobas do dia-a-dia. Lembrava às vezes dos tempos antigos, de quando aproveitar a vida era agradável, mas tudo havia virado passado. Agora sobrara apenas o rei sentado no trono de seu reino vazio, e mais nada...

Postagens mais visitadas deste blog

Regras para Namorar um INFP

Oi, eu sou um INFP...

Biblioteca do Caos