Não sou de entregar minha intimidade pra qualquer pessoa. Não sou desses que chegam abraçando, dando beijo na bochecha e falando da vida pessoal pra primeira pessoa que vira a esquina. Mas infelizmente vivo num "mundo" onde todos são assim.

Moro no estado do Rio de Janeiro e todo morador de toda cidade desse estado é assim, dado. Não tem palavra melhor pra definir, todo mundo aqui se dá de corpo e alma pra qualquer pessoa e mesmo que não receba nada em troca as pessoas continuam "se dando". Eu não gosto disso.

Com o tempo eu me acostumei com pessoas desconhecidas esbanjando intimidade pra cima de mim, mas nunca fui uma delas, nem tentei ser. Às vezes até quis. Talvez se eu fosse extrovertido a vida seria mais "fácil". Apenas talvez.

Com o tempo também fui percebendo que quando me importo com alguém e me envolvo, seja como amigo ou mais que isso, ver a pessoa se entregando fácil pra outras pessoas me causa um bom incomodo. Principalmente por que se me envolvi com a pessoa (mesmo com amizade) então ela faz parte da minha vida. E se ela se abre com qualquer um, sinto como se parte da minha vida estivesse sendo exposta a esmo. É chato, uma merda, como levar um pé na bunda. E o pior é ter consciência de que de certa forma isso é um sentimento egoísta e possessivo.

Hoje sei relevar essas coisas, aprendi a entender, aceitar, que não tem muito sentido o que eu penso e que as pessoas podem apenas ser simpáticas em excesso umas com as outras, mas no fundo no fundo, ainda incomoda...

Postagens mais visitadas deste blog

Regras para Namorar um INFP

Oi, eu sou um INFP...

Biblioteca do Caos