Introversão não é tímidez.

 Desde novo sempre fui quieto, calado, na minha. Sempre falava pouco e era mais de ouvir. Isso era tanto por eu ser tímido quanto introvertido. Não sei qual influênciou qual ou qual veio primeiro, não me conheço tão bem assim (e mal lembro o que comi antes de ontem).

 Se fosse pra apostar no que eu tive primeiro, eu diria que introversão. Pode nem parecer, mas quando novo eu era uma criança faladora, brincalhona e animada. Difícil acreditar hein? Quem me conhece de verdade sabe.

 Não sei se houve algum real evento que me mudou, se foi gradativo ou se foram uma cadeia de eventos, mas voltando pra aposta, eu apostaria mais ainda na morte do meu pai. Afinal, perder um pai quando se ainda está entrando na puberdade (não lembro quantos anos eu tinha) é um evento marcante.

 A introversão mesmo começou com o conhecimento da vida, do mundo, das pessoas e principalmente da humanidade. Eu criei o terrível hábito de guardar apenas lembranças ruins, e ver o lado negativo das coisas. Me tornei um pessimista.

 Vi o quanto a vida poderia ser cruel, o quanto o mundo era tão desigual, quantas pessoas ruins existiam e como a humanidade (e a sociedade em si) era algo... podre. E sem sentido. Eu conheci a morte pessoalmente, tive medo dela e em consequencia tive ódio. Ódio das coisas darem errado, ódio da injustiça do mundo, ódio de mim mesmo que não conseguia fazer nada...

 Com o tempo fui perdendo confiança nas pessoas. Via que o Fulano falava pra Sicrano de um jeito, quando falava pra Beltrano era de outro jeito. E depois Sicrano também comentava pra Beltrano a mesma coisa de um jeito completamente diferente. Eu mesmo, já vi uma situação acontecer com Fulano e quando Fulano foi contar pra amigos, mil coisas diferentes aconteceram, tudo favorecendo Fulano.

 "Por que?", eu sempre me perguntava. "Por que as pessoas fazem isso? Agem desse jeito?". Eu sempre tentava ser sincero, justo, simples, verdadeiro. E nessas também acabei quebrando a cara. Confiando em pessoas erradas, principalmente.

 Também já tentei vez ou outra "ser ruim". E a vaca foi pro brejo.

 Talvez tudo isso tivesse sido uma busca por um lugar meu no mundo. Sei lá. Com o tempo eu só fui vendo pouco a pouco e cada vez mais que nada disso valia a pena. Interações sociais. Conhecer novas pessoas. Tudo besteira.

 Parando pra pensar agora eu acho nunca fui um grande tímido, eu só... ficava na minha. Já tive sim vergonha de certas coisas, como o fato de eu jogar RPG (e a discriminação que o RPG sempre sofreu) ou até mesmo com o fato de eu escrever, medo esse que ainda persiste um pouquinho.

 O medo de escrever é mais por ser interpretado errado. Isso sempre foi tão frequente (e ainda é) que eu traumatizei. Não só com o que escrevo. O que faço, o que sinto, o que sou. Pessoas são terríveis em ler gestura corporal e interpretar frases, até as mais inteligentes... Ou eu mesmo que nunca sei explicar direito as coisas. Vai saber?

 Que mal há em querer ficar sozinho? Sempre disse que sou adepto do "isolacionismo" que é um pensamento que tenho que resumindo diz: "Se cada um ficasse mais na sua, o mundo ia ser bem melhor...".

 Outra coisa que não me motiva a sair e conversar com pessoas, até mesmo conhecidas, são os assuntos. Quando eu converso com uma pessoa eu gosto de falar sobre interesses em comum meus e da minha pessoa. Principalmente cultura. Política não me importa, esporte menos. Vida pessoal só se for entre as nossas ou que nos envolva.

 Falar dos outros? Pra que? O que eu ganho com isso? Política? Eu vou mudar a situação do país? Não, não vou. E nem me venham com papinho de "Seu voto faz a diferença!", isso é pensamento utópico no Brasil. Não dá pra se mudar a política de um país onde a corrupção ta enraizada desde o período do descobrimento. O Brasil nasceu corrupto e vai morrer corrupto (memso que não morra, duvido que eu vou estar vivo pra ver isso acontecer). E esportes? Só se for relacionado a alguém que pratique e que seja próximo. Só torço pra mim mesmo e pra pessoas queridas.

 Por essas e outras sou introvertido. Não tímido. Se eu não quero falar com você, com certeza tem um motivo maior do que mera timidez. Se já fui tímido, superei e nem vi. Haha

 E se eu falo ou já falei contigo, é por que realmente vale a pena. ;)

Postagens mais visitadas deste blog

Regras para Namorar um INFP

Oi, eu sou um INFP...

Juvia